Diario

RSS
  • I had the time of my life, and you?

    Ott 27 2010, 17:55

    Wed 20 Oct – Green Day / 21st Century Breakdown Tour

    Bom, vamos lá…

    Corri, corri e corri… Chegamos no local umas 17:30h, mais ou menos. Tinha pouca gente ainda, sem filas, mas foi enchendo. A ansiedade tava enooorme.
    Umas 20h começou a banda de abertura. Horrível é pouco! Foram vaiados do início ao fim quase. Isso que dá deixar a MTV escolher a banda, né?

    Quando dei 21:30, começou a tocar YMCA e quando vimos no palco, tinha um cara vestido de coelho cor de rosa, com duas garrafas de cerveja, bebendo e dançando! Sabia, aquele era o início! Depois disso, ouvimos um barulho de rádio sintonizando e tocando Rock’n Roll Radio, do Ramones. Em seguida, a primeira música, “Song of The Century” começou no playback, enquanto eles se arrumavam no palco. Logo em seguida, eles começaram a tocar “21st Century Breakdown”, a faixa-título do CD da turnê. O povo cantava junto, pulava, foi lindo. Depois, “Know Your Enemy”, MUITO EMPOLGANTE AO VIVO. Eu só sabia gritar e cantar junto. Nessa música, o Billie Joe chamou um fã para dar um mosh do palco! Em seguida, “East Jesus Nowhere” também empolgando MUITO, especialmente na hora do ‘exorcismo’ do pequeno Gabriel(aliás, moleque mt fofo!). Mas, o melhor ainda estava por vir…

    “Holiday” começou e o povo foi ao delírio! Foi muito empolgante ver o Billie Joe cantando isso ao vivo, e olha que nem sou lá muito fã da música. Depois tivemos a INCRÍVEL versão de “Nice Guys Finish Last”, foi lindo lindo e lindo. Nessa hora quase chorei. Mas pobre coraçãozinho, nem sabia que ia ficar mais apertado depois… Aí vieram “Give me Novocaine”, onde eu aproveitei pra agarrar o futuro marido um pouco e “Letterbomb”. Depois tivemos a horrível “Are We The Waiting”, mas que né?, eles devem curtir, assim como grande parte do público. Nessa música, subiu uma menina no palco e beijou o Billie Joe(sortuuuda). “St Jimmy”, como o esperado, provocou reações perfeitas da galera, gritos, e muita gente cantando junto. E chegou a hora de uma música-modinha, “Boulevard of Broken Dreams”. O povo fez um coro maravilhoso. Preciso dizer que os caras estavam visivelmente emocionados de estarem ali ontem. Era contagiante ver o sorriso deles ao tocar! E aí chegamos a melhor parte do show, AS VELHARIAS!

    Abrindo com “Burnout”, a primeira faixa do disco Dookie, pudemos ver uma parte do público se aquietando e os fãs mais antigos indo à loucura, eu inclusa. Depois tivemos “F.O.D.”, coisa mais linda do mundo…



    Depois tivemos “J.A.R.”, uma das b-side deles mais conhecidas, e que está no meu TOP 10 músicas favoritas deles.



    Em seguida, “Stuck With Me” agitou ainda mais os old school fans, como eu.



    E em seguida, fomos brindados com uma boa dose de Tré Cool. A platéia já gritava seu nome e o baterista não pôde deixar de atender aos apelos do público e começou a cantar! “Dominated Love Slave” empolgou ainda mais, se é que isso era possível. Como boa fã do Tré, quase tive um treco ao ouvir os primeiros acordes e gritava pro namorado a toda hora “Amor! É Dominated Love Slave!”



    E depois, do primeiro cd deles, “Paper Lanterns”. Confesso que fiquei um pouco decepcionada, sempre quis ouvir “Going To Pasalacqua”, mas essa é uma ótima música também. A vasta maioria desconhecia essa letra, mas nem por isso, foi menos legal



    E logo, mais uma linda do Kerplunk, “2000 Light Years Away” me emocionou… E depois veio “Hitching A Ride” e seu grito extremamente complexo de SHIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIT =D



    Aí a casa veio abaixo, começaram a tocar “When I Come Around”, que é minha favorita deles. Lágrimas escaparam e foi quando a ficha realmente caiu pra mim que o show que eu tanto esperei estava ali, acontecendo e eu fazia parte dele.



    Logo depois, veio o mash-up de “Iron Man”(Black Sabbath), “Rock ‘n Roll”(Led Zeppelin), “Sweet Child O’Mine”(Guns) e “Highway To Hell”(AC/DC). Nesse momento eu ví o João tendo quase um orgasmo de felicidade por lembrar do show do AC/DC que ele foi ano passado. O Billie Joe fazendo falsete foi lindo, ameeei!!! Em seguida, vieram “Brainstew” e “Jaded”, sempre uma depois da outra, com várias interrupções, assim como as outras músicas, para interação com a galera.

    E aí começou o momento aguardado. Em todo show, o Billie Joe chama alguém no palco para cantar “Longview”. Dessa vez, ele chamou um cara que entrou no palco, correu pro abraço e em seguida, foi direto pra cima do Tre. Voltou, cantou a letra inteira, super malucão e levou a guitarra pra casa! E ainda ganhou o seguinte elogio do vocalista: “You are fucking crazy, man!” E isso, vindo do Billie Joe, significa MUITA coisa.



    Aí vieram a duplinha mais conhecida, mostando que mesmo após 16 anos, “Basket Case” ainda é o maior hit deles… “Basket Case” e “She” energizaram a platéia para o que viria a seguir.



    Logo depois, o palco criou luzes coloridas e vários Elvis brotaram. Era hora de “King For A Day”!!! Nossa, que apresentação FODA! E emendaram com um cover de “Shout”, com direito a TODOS cantando, o Tre, o Mike e até os músicos de fundo. Eu ví o Jason White cantando Shout! Lindoooooo! Em seguida, ele emendou com “Break On Through” do The Doors, “(I Can Get No)Satisfaction” dos Stones e “Hey Jude” Depois foi a vez de “21 Guns” e sua melodia calma, que me fez enjoar rapidamente dela. Em seguida a já foda “Minority” ficou mais foda ainda ao vivo *-*. Nesse instante, eles saíram do palco. E você aí pensando “Ei, cadê ‘American Idiot’?”.

    RÁÁÁÁ! PEGADINHA DO MALANDRO! O encore número um estava começando justamente com qual? ÉÉÉ, “American Idiot”!!! E devo dizer, talvez tenha sido a melhor música da noite. Em seguida, os já mais de 9 minutos de “Jesus Of Suburbia” se tornaram muitos mais, para alegria da moçada que a toda hora gritava os seus “ÊH-OH!”, uma das marcas registradas da banda. E fim, saíram de novo.

    E voltaram de novo! Dessa vez, Billie Joe, com seu violão fez uma versão acústica de “Whatsername”, que encheu mais uma vez meus olhos de lágrimas. Em seguida veio a enfadonha “Wake me up when September ends”, onde acenderam isqueiros e novamente fizeram um puta coro foda. E para fechar o show, “Good Riddance(Time of Your Life)”.

    A interação deles com o público é incrível, toda hora ele falava com a gente, amei ouvir o OBRIGADO SAO PAOLO dele. E ele amou(os olhos brilhavam e ele ria sozinho ali) quando começamos o coro de “Olê, olê, olê, olê! Green Day, Green Day!”, pedindo inclusive para que repetíssemos isso várias vezes durante o show. A chuva de papel picado, os fogos, explosões, a mangueira d’água, a bazuca de papel higienico e a bazuca de camisetas lançadas ao povo também foram algo incrível. Ver o Billie Joe correndo pelo palco e dando mosh na platéia como um adolescente do alto de seus 38 anos foi uma experiencia incrivelmente única. É um sonho realizado.

    It’s something unpredictable, but in the end is right. I hope you had the time of your life
    E sim, Billie Joe, eu aproveitei bastante.